Saltar para o conteúdo

4 livros sobre educação que você não pode deixar de ler

  • Bilinguismo

Sabemos que a missão de um educador não é fácil e demanda aprendizado constante para se manter sempre próximo da realidade de seus alunos. Nossas crianças mudam e o mundo também, o que traz impactos diretos na educação, que precisa acompanhar estas mudanças. Pensando nisso, separamos com especialistas 4 livros sobre educação que você precisa ler.

Nós do Edify acreditamos na educação como uma rede, na qual conhecimento compartilhado é melhor que conhecimento guardado. Por isso, durante o evento HUB18 pedimos a ajuda de grandes nomes da educação para dividir algumas dicas de leituras essenciais para qualquer educador.

Curioso? Vamos a elas:

  1. 1. Polegarzinha – Michel Serres
  2. 2. A Escola Tem Futuro? Das Promessas Às Incertezas – Rui Canário
  3. 3. Tremores – Jorge Larrosa
  4. 4. The Knowledge Illusion: Why we never think alone – Steven Sloman & Philip Fernbach

Confira as dicas de livros sobre educação com mais detalhes dos nossos especialistas abaixo:

Dica 1: Antonio Novoa

Polegarzinha – Michel Serres


O mundo mudou tanto que os jovens precisam reinventar a roda.

O jovem que não se desliga do mundo virtual e tem o celular como melhor amigo já é uma realidade nos dias de hoje. O livro retrata a criação de um novo humano com as tecnologias atuais e que esse pequeno polegar teve, por sua vez, muitas coisas a inventar para o novo mundo em que ele nasceu.

Polegarzinha também mostra que os professores terão que se adaptar à nova realidade, pois os alunos já não se adaptam mais ao método tradicional de ensino e preferem aprender por meio da internet, podendo já chegar à sala de aula conhecendo o assunto a ser discutido.

Segundo o autor: “todo homem é um político com um laptop na mão. Graças à internet, há um espaço que já não é determinado pela distância, mas pelas proximidades”.

DICA 2: Rosely Sayao

A Escola Tem Futuro? Das Promessas Às Incertezas – Rui Canário

Segundo Rui Canário, para transformar a escola é necessário agir em três planos fundamentais:

  1. 1. Pensar a escola a partir da educação não-escolar,
  2. 2. Caminhar no sentido de desalienar o trabalho escolar,
  3. 3. Para que o trabalho de aprender possa ser vivido como uma “obra”.

Transformar a educação, e em particular a escola, através de movimentos sociais. Este conjunto de ideias compartilhado no livro são uma valiosa contribuição para se pensar a “crise” da escola e viabilizar sua mudança. Não é possível adivinhar nem prever o futuro da escola, mas é possível problematizá-lo a partir de uma reflexão crítica

Dica 3: Carol Sanches

Tremores – Jorge Larrosa

Entre a pedagogia, a filosofia e a literatura (mas com um olhar dirigido também às artes), Jorge Larrosa constrói uma forma de pensamento, de linguagem, de sensibilidade e de ação (porém, sobretudo, de paixão) que nos situa além dos marcos dominados pelo par paciência/técnica ou pelo teoria/prática.

O título remete ao vazio, a intervalo e imprevisibilidade da experiência, assim como a sua natureza de “categoria livre”. Como dito no prólogo: “não se pode pedagogizar, nem didatizar, nem programar, nem produzir a experiência; a experiência não pode fundamentar nenhuma técnica, nenhuma prática, nenhuma metodologia; a experiência é algo que pertence aos próprios fundamentos da vida, quando a vida treme, ou se quebra, ou desfalece”.

DICA 4: CINTIA NOGUEIRA

The Knowledge Illusion: Why we never think alone – Steven Sloman & Philip Fernbach

O ser humano construiu sociedades e tecnologias complexas, mas muitos de nós não sabemos nem mesmo como uma caneta ou uma privada funcionam. Como será que conquistamos tanto entendendo tão pouco? Os cientistas cognitivos Steven Sloman e Philip Fernbach argumentam que apesar de nossa deficiência mental, nós sobrevivemos por vivermos em uma comunidade rica em conhecimento. Ou seja, a chave para nossa inteligência está nas pessoas e coisas que nos cercam.

Somos constantemente imersos em informações e experiências fora de nossas mentes: em nossos corpos, ambiente, objetos e comunidade com que interagimos, mas normalmente nem percebemos que estamos fazendo isso. Este livro, por outro lado, aponta que verdadeiros gênios podem ser achados nas formas em que criamos inteligência ao usar a comunidade ao nosso redor.


Compartilhe esse texto!

Veja textos relacionados: