Saltar para o conteúdo

Avaliação da aprendizagem: discussões na conferência “New Directions Colômbia 2021”

  • Práticas Pedagógicas

A segunda edição da conferência em avaliação da aprendizagem na América Latina “New Directions Colombia 2021”, organizada pelo British Council, foi realizada entre 1 e 3 de julho em formato online.

As discussões sobre tendências e movimentos atuais destacaram a correlação entre currículo, ensino e avaliação da aprendizagem. Ainda mais, foi discutido a inclusão do componente de língua estrangeira no PISA 2025, iniciativas em avaliação da oralidade de aprendizes em larga escala e a relevância do letramento em avaliação para professores de línguas.

Sendo assim, continue a leitura e saiba o que foi discutido sobre avaliação na conferência “New Directions Colômbia 2021”. Confira agora!

Qual é o papel da avaliação em um sistema de aprendizagem?

Na plenária inaugural, Barry O’Sullivan expandiu o tema “avaliação localizada”, abordado na edição anterior. O pesquisador pontuou a importância de considerarmos o contexto local de uso em primeiro lugar, e então adaptarmos práticas e princípios de avaliação para o mesmo.

Portanto, os instrumentos avaliativos utilizados devem estar sempre alinhados com os objetivos de aprendizagem e fazer sentido para as diferentes esferas do público alvo.

O’Sullivan apresentou o seu construto teórico “The Comprehensive Learning System”, onde a avaliação é considerada um elemento essencial na construção de um sistema de aprendizagem, assim como o currículo e os constituintes de entrega. Dessa forma, a avaliação é vista como parte integrante no desenvolvimento deste modelo e não periférica.

Qual é a motivação para a inclusão do componente de língua estrangeira no PISA 2025?

O PISA tem um grande impacto em mudanças educacionais, curriculares e metodológicas. Afinal, os países utilizam seus insumos para revisar seus programas, práticas e instrumentos avaliativos.

Logo, a plenária de Andreas Schleicher, representante do PISA, focou na edição de 2025, que incluirá o componente FLA (Foreign Language Assessment). Essa inserção baseia-se no fato de que uma língua estrangeira ajuda indivíduos a entenderem diferentes visões de mundo, formas de pensamento e outras culturas. O inglês foi escolhido por ser a língua com a maior abrangência em instituições de ensino. 

Nesse sentido, o Pisa 2025 avaliará as competências de compreensão leitora, compreensão auditiva e expressão oral em inglês. O formato e conteúdos do componente de oralidade ainda estão em fase de desenvolvimento, mas entende-se que os alunos utilizarão ferramentas digitais.

Como se pode avaliar a oralidade de aprendizes em larga escala?

Na mesa redonda sobre o tema, representantes da América Latina, Ásia e Europa descreveram projetos em andamento. Na China, alunos já fazem provas orais em duplas, de forma síncrona e assíncrona nas escolas. Além disso, a pesquisadora Jin Yan reforçou a importância da capacitação e calibragem de examinadores orais. 

Em alguns países da América Latina, utilizam-se provas orais digitais, desenvolvidas em parceria com o British Council. Outros países adotam o APTIS, como verificador do nível linguístico dos alunos, na transição entre o ensino médio e a universidade. 

No Brasil, a linguista Gladys Quevedo-Camargo (Universidade de Brasília) destacou as dificuldades para a implementação de provas orais em grande escala nas escolas brasileiras:

  • ensino não necessariamente focado em oralidade;
  • nível de proficiência de professores de inglês;
  • falta de recursos.

No Edify, já avaliamos a produção oral de nossos alunos ao atingirem os níveis de proficiência CEFR A1-A2-B1-B2. Nossas provas digitais de mensuração de aprendizado incluem atividades com captação de voz, na nossa plataforma online.

Qual é a importância do letramento em avaliação da aprendizagem de línguas?

Para que professores possam guiar seus alunos em sua evolução linguística e acadêmica, é essencial que escolham ou desenvolvam instrumentos avaliativos adequados aos objetivos de aprendizagem e que utilizem resultados e evidências como insumos para ações de desenvolvimento.

O letramento em avaliação de línguas engloba (Fulcher, 2012, p.125):

  1. Conhecimentos, competências e habilidades necessárias para a elaboração ou análise crítica de exames padronizados ou instrumentos avaliativos para a sala de aula;
  2.  Familiaridade com processos avaliativos, consciência dos princípios norteadores de práticas em avaliação; 
  3. Habilidade de situar esses conhecimentos dentro de perspectivas históricas, sociais, políticas e filosóficas;
  4. Entendimento do papel e do impacto da avaliação na sociedade, em instituições e no indivíduo. 

Thom Kiddle (NILE) mediou a mesa redonda sobre o tema, com a participação da presidente da organização LAALTA, pesquisadores internacionais e Alberto Costa (Cambridge Assessment English). Dessa forma, eles discorreram sobre a relevância e os desafios do letramento em avaliação de línguas e ressaltaram a necessidade de apoiar professores em fases iniciais de desenvolvimento profissional.

Em outra palestra, a pesquisadora Gladys Quevedo Camargo apresentou o projeto de investigação sobre o grau de letramento em avaliação de professores brasileiros de inglês, em conjunto com a associação LAALTA. A pesquisa inclui perguntas sobre conhecimentos acerca do aprendizado de segunda língua, habilidades de linguagem, níveis de proficiência, propósitos e formatos de avaliação, entre outros itens.

No Edify, o departamento de Mensuração de Aprendizado vem elaborando um projeto de Letramento em Avaliação para os seus professores, em conjunto com a área de Learning & Development.

Por fim, esses foram os principais assuntos sobre avaliação da aprendizagem discutidos na conferência “New Directions Colômbia 2021”. Saiba mais sobre as tendências educacionais para a próxima década!

Referências bibliográficas:

FULCHER, Glenn. Assessment literacy for the language classroom. Language Assessment Quarterly, v. 9, n. 2, p. 113-132, 2012.

O’Sullivan, Barry. The Comprehensive Learning System. British Council, 2020. Disponível em: <https://www.britishcouncil.org/sites/default/files/cls_bcps1_bos_30-09-2020_final.pdf> Acesso em: 1 de julho de 2021.

QUEVEDO-CAMARGO,Gladys; SCARAMUCCI, Matilde. O conceito de letramento em avaliação de línguas: origem de relevância para o contexto brasileiro. Linguagem: Estudos E Pesquisas, 22(1), 2018. Disponível em: <https://www.researchgate.net/publication/327194920_O_CONCEITO_DE_LETRAMENTO_EM
_AVALIACAO_DE_LINGUAS_ORIGEM_DE_RELEVANCIA_PARA_O_CONTEXTO_BRASILEIRO> Acesso em: 17 de maio de 2021.

Compartilhe esse texto!

Veja textos relacionados: