Saltar para o conteúdo

Os benefícios do letramento midiático na educação

  • Bilinguismo

Imagine que você recebeu uma notificação no seu celular. Uma mensagem de um amigo de longa data, com quem você costuma trocar mensagens com certa frequência. Na mensagem, uma foto de uma famosa figura política abraçado com um dos mais famosos criminosos do país.

A legenda da imagem não deixa dúvidas: melhores amigos. O que você faz nesse momento? Corre para postar a imagem nas suas redes sociais, distribuindo o choque que sentiu? Ou você separa alguns minutinhos para verificar o conteúdo daquela mensagem? Se você escolheu a primeira opção, pode ser que você esteja precisando de uma ajudinha com seu letramento midiático.

Mas o que é o letramento midiático e por que ele é relevante na educação do século 21?

O letramento midiático refere-se a um conjunto de habilidades relacionadas ao acesso, decodificação e análise das informações encontradas na mídia. Essas habilidades nos ajudam a entender mensagens transmitidas em diferentes formatos, através de diferentes meios e fazendo uso de diferentes recursos semióticos.

O letramento midiático nos ajuda a entender os significados das mensagens transmitidas pela mídia em sua totalidade, considerando não apenas seus constituintes linguísticos, mas também a linguagem e a gramática da mídia e os recursos utilizados para construir significado (e muitas vezes, construir a realidade). Esse entendimento crítico passa também pela consciência de que a mídia não opera como um vidro transparente pelo qual enxergamos o mundo – ela nos fornece, na verdade, uma mediação do mundo.¹

Uma simples notícia transmitida através do WhatsApp, como no exemplo mencionado anteriormente, pode ser explorada em suas diversas camadas:

Boas práticas para um bom letramento midíatico

1. Confiabilidade

Como saber se a informação recebida é verídica? É preciso sempre fazer uma verificação lateral – o que significa buscar o mesmo dado em diferentes fontes e comparar as diferentes informações fornecidas por cada um. A verificação lateral da notícia também nos ajuda a “sair da bolha”: em tempos polarizados, é essencial sairmos da nossa zona de conforto (ou das nossas fontes de conforto, os jornais e revistas que reproduzem nossa opinião e posicionamento) e analisarmos o que pessoas e veículos em diferentes espectros político-ideológicos estão dizendo sobre a questão – a democracia é feita de diversidade e respeito, acima de tudo.

2. Imparcialidade

De onde originalmente vem aquela informação e qual a parcialidade da fonte? Todas (ou quase todas) as fontes e veículos são parciais – e não há nada de errado nisso, contanto que não haja discriminação ou perseguição a opiniões divergentes, mas é preciso saber de antemão sob qual viés aquela informação será apresentada (e a partir daí buscar diferentes vieses para compor uma visão ampla da questão).

3. Integridade

Historicamente, textos sempre foram mais fáceis de serem manipulados, e desenvolvemos uma tendência a acreditar na fotografia como verdade absoluta. Entretanto, com o avanço e no desenvolvimento e acesso aos meios tecnológicos, ferramentas de edição de imagens se tornaram bastante populares, tornando a manipulação de imagens uma tarefa razoavelmente simples.

Dentro de um cenário onde o desenvolvimento da tecnologia e o acesso a mesma só tendem a crescer, a integridade de conteúdos digitais tende a se tornar cada vez mais frágil. Precisamos desenvolver estratégias (e outros tipos de tecnologia) que nos auxiliem a detectar tais manipulações.

4. Recursos multimodais

A notícia é acompanhada por diferentes recursos além de imagem e texto? Como analisar esses recursos? É preciso desenvolver nos alunos as habilidades de interpretação de recursos semióticos nos mais variados formatos, dos tradicionais gráficos, infográficos e tabelas a gifs e memes da internet.

A forma com que depreendemos significado das informações que chegam até nós informa nossa maneira de pensar sobre nós mesmos, sobre nossos conceitos mais caros de família, cidadania e sociedade, nos torna capazes de nos posicionar perante o mundo e produzir opiniões e conhecimento aprofundado e sedimentado em fontes seguras e em opiniões diversas.

Desenvolver o letramento midiático é fundamental para que nossos alunos possam exercer a cidadania em sua plenitude, para que se tornem participantes ativos e responsáveis da democracia, zelando pela transmissão e divulgação de dados verídicos e pelo respeito à pluralidade de opiniões e posicionamentos. A criação e divulgação de informações e notícias falsas é danosa à sociedade e tem consequências graves.

Da próxima vez que você receber uma notícia pelo WhatsApp (ou por qualquer outro meio), lembre-se: verifique a informação antes de passar a notícia adiante. O futuro agradece.

¹ Buckingham, D. (2003) Media education: Learning, literacy and contemporary culture.


Venha conferir as tendências sobre a educação no século XXI no novo e-book da Carol Sanches. Baixa grátis aqui!

Compartilhe esse texto!

Veja textos relacionados: