Saltar para o conteúdo
British Council no México

EdifyTeam na Conferência sobre Avaliação Linguística do British Council no México

Palestrantes e linguistas internacionais discutiram tendências e apresentaram iniciativas inovadoras para os desafios de avaliação em contextos educacionais locais e regionais, na primeira edição da conferência do British Council: “New Directions in English Language Assessment in Latin America” , entre 21 e 23 de março.

Plenárias, mesas redonda e palestras abordaram os temas: letramento em avaliação, avaliação da proficiência linguística de professores, avaliação da habilidade oral e alinhamento entre aprendizado, currículo e ensino.

O que é “localização” dentro de sistemas de ensino?

Em sua plenária, o Professor Barry O´Sullivan do British Council enfatizou a necessidade de soluções localizadas. Para um teste ser utilizado de forma apropriada dentro de um contexto educacional ou social específico, o mesmo deve alinhar-se com as necessidades daquele contexto.

Não é possível separar aprendizado, ensino e avalição. Um sistema de ensino exitoso engloba currículos, instrumentos de avaliação e materiais, treinamentos, etc. adequados aquele contexto.

Desta forma, o argumento de que uma solução global funcionaria para todos os sistemas de ensino não se sustenta.

Qual o padrão de inglês a ser seguido?

Professor Constant Leung, da universidade “Kings College London” debateu sobre “As variedades de inglês e práticas multilíngues – os desafios para a avaliação linguística”. O objetivo de atingir a competência de falante nativo é inapropriado considerando as variedades de inglês no mundo globalizado.

A versão atualizada do “Quadro Comum Europeu de Referências para Línguas” de 2018 remove o padrão de “falante nativo” e o substitui por “falante proficiente”. Dentre as práticas multilíngues, destaca o fenômeno “translingualismo”.

O inglês como “Língua Franca” possibilita a mediação de significado entre falantes de outras línguas.

Saiba mais sobre os programas Edify!

Qual o nível de inglês desejável para professores de inglês em programas bilíngues?

Na palestra “A avaliação linguística de professores brasileiros para um programa bilíngue em múltiplas regiões”, apresentamos nossa solução localizada e nossos instrumentos para medir a proficiência linguística de 148 professores de inglês em potencial para o y no Brasil em 2019.

Também discutimos o nível de proficiência desejável, dentro do Quadro Comum Europeu de Referência para Línguas (CEFR), para perfis de profissionais dentro da educação bilíngue:

  • Professores de inglês desenvolvendo aspectos comunicativos, formais e culturais da língua inglesa, habilidades socioemocionais e aprendizagem baseada em projetos: CEFR C1 ou C2
  • Mesmo perfil acima, porém somente na educação infantil: CEFR B2 ou acima
  • Profissionais utilizando o inglês como instrumento para ensinar ou reforçar conteúdos de outras disciplinas e projetos: CEFR B2 ou acima
  • Profissionais utilizando o inglês como instrumento para conduzir vivências e experiências como aulas de ioga, de futebol, de culinária, etc.: CEFR A2 ou B1

Nossos resultados de avaliação linguística dos 148 professores de inglês em potencial para o Edify revelaram um panorama favorável à implementação de programas bilíngues:

Crédito da imagem: https://americas.britishcouncil.org/new-directions

E como podemos apoiar professores de inglês ou profissionais da educação bilíngue para o seu aprimoramento linguístico?

Concluímos a nossa participação no congresso com as seguintes sugestões:

  • Cursos de inglês online
  • Cursos preparatórios para certificações internacionais com exames de Cambridge, IELTS e TOEFL
  • Planejamento de aulas em conjunto com coordenadores pedagógicos
  • Foco na linguagem para instruções e apresentações
  • Grupos de estudo para a preparação para exames internacionais
  • Cursos internos de inglês ministrados por colegas
  • Sessões de treinamento ou oficinas com foco em conscientização linguística
  • Participação em webinários e conferências

Por fim, entre outros destaques, representantes de “Cambridge English Assessment” apresentaram histórias de sucesso. Hugh Moss abordou o impacto positivo da prova “Teaching Knowledge Test” (TKT) no México, pelas perspectivas de professores, empregadores e instituições de treinamento.

Alberto Costa descreveu o projeto “Panamá Bilíngue” em conjunto com o governo panamenho, com o objetivo de elevar os padrões de ensino em escolas públicas no país.

Compartilhe esse texto!

Cristiane Corsetti

Head da Área de Mensuração de Aprendizado do Edify. Possui Bacharelado em Letras Inglês e Alemão e Mestrado e Doutorado em Linguística Aplicada pela PUCRS, com período sanduíche na Universidade de Lancaster, Inglaterra. É especialista em treinamento de professores e em avaliação.

Assine nossa newsletter e fique por dentro de mais conteúdos relevantes sobre educação!

Veja textos relacionados:

Imagem em desenho de pessoas utilizando um notebook e com fones de ouvido.

Inclusão Escolar: saiba o que é e qual sua importância

Antes de falar sobre a inclusão escolar, é importante mencionar que todas as crianças têm direito à educação, por isso, é imprescindível que as instituições de ensino públicas e privadas estejam preparadas para atendê-las independentemente…

Escola bilíngue – Conceito, vantagens e funcionamento

Você provavelmente já ouviu falar em escola e ensino bilíngue, afinal, em um mundo cada vez mais globalizado, a comunicação em mais de uma língua se torna cada vez mais necessária. Assim, a forma como…