Escola Bilíngue vs Programa Bilíngue, você sabe a diferença?
Educação
qui abr 11
Marina Dalbem
Marina Dalbem

Marina Dalbem

Co-CEO da Spot Educação, lidera todas as iniciativas de soluções e inovações para escolas. Graduada em Ciências Econômicas (PUC-Rio) e MBA em Marketing and Operations na Wharton School da University of Pennsylvania (WG15). Possui o certificado de proficiência CPE (Universidade de Cambridge).

Marina Dalbem

Escola Bilíngue vs Programa Bilíngue, você sabe a diferença?

Good morning! Guten Tag! Bonjour! Vou me apresentar, mas já adianto que não sou um programa bilíngue: sou uma escola que trabalha com um currículo bem diferente, 100% alinhado com um currículo internacional, seja ele alemão, francês, inglês, americano, suíço – you name it! Não sigo a BNCC e sim as orientações curriculares do meu país de origem.

Muitas vezes meu calendário escolar é diferente do calendário brasileiro e pode ser que minhas aulas comecem em setembro. Recebo anualmente muitos alunos internacionais, filhos de executivos de grandes empresas multinacionais expatriados, diplomatas, estrangeiros que vieram morar por aqui.

Ofereço a meus alunos a tranquilidade da continuidade dos seus estudos em um sistema alinhado com o que tinham no seu país de origem, e facilito sua adaptação a um país completamente novo. Também recebo alunos brasileiros que buscam um diploma internacional.

Meu processo de alfabetização é em outra língua que não o Português, e a Língua Portuguesa é ensinada como segunda língua. Não me chamam de Escola Bilíngue porque minhas disciplinas são lecionadas em outro idioma, que não o Português. Normalmente meus alunos não interagem em Português, então a língua que reina nos corredores da escola é outra. Quem sou eu? Sou uma Escola Internacional.

Escola Bilíngue vs Programa Bilíngue: você consegue adivinhar quem é quem?

Hello! Vou tentar facilitar para vocês: sou uma escola brasileira e estou adequando meu currículo à BNCC. Acredito que meus alunos precisem ser fluentes em dois idiomas ao completarem a escolaridade e, para tanto, leciono pelo menos 40-50% da minha grade curricular na segunda língua de minha escolha.

No meu caso, a segunda língua de instrução é o inglês. Meus alunos têm aulas de algumas disciplinas em Português (isso inclui a alfabetização e um currículo relevante de Língua Portuguesa), e as demais disciplinas em inglês.

Tenho um currículo forte de Língua Inglesa. Além disso, parte do conteúdo de Matemática, Geografia, História, etc, é lecionado em inglês. Assim sendo, meus professores são professores especialistas de cada disciplina e fluentes em inglês.

Para formar alunos fluentes nas duas línguas, normalmente preciso de uma carga horária maior: por isso sou uma escola em turno único. Uso livros de algumas disciplinas desenvolvidos e utilizados nos Estados Unidos/Inglaterra, que foram desenvolvidos para falantes nativos da língua, pois preciso aprender o conteúdo específico em inglês.

Meus alunos adoram as aulas em inglês mas interagem com os amigos no corredor em Português, então não vivem num contexto de imersão na segunda língua. Quem sou? Sou a Escola Bilíngue!

Who Am I?

Hi there! Posso ser muitas diferentes: construtivista, sócio-interacionista, conteudista, Montessori, Waldorf, confessional. No entanto, qualquer que seja meu Projeto Político-Pedagógico, acredito que preparar meus alunos para o mundo inclui a aprendizagem de uma segunda língua.

Escolhi oferecer, portanto, um Programa de inglês estruturado, com uma carga horária estendida. O grande diferencial é que as aulas não são aulas de inglês como eram antigamente. São aulas em inglês, o que significa que o inglês é o meio de comunicação utilizado, e não apenas o objeto do estudo.

Isso faz com que as aulas sejam mais comunicativas, incentivem a troca entre os alunos e promovam uma fluência maior que o aprendizado tradicional.

Para engajar os alunos, uso perguntas motivadoras e projetos interdisciplinares, que fazem com que os alunos façam as conexões entre os diversos conhecimentos a que são expostos e trabalhem coletivamente para encontrarem a solução. Meus professores de inglês conseguem conduzir como mediadores, pois são bem formados e acompanhados pelo meu parceiro, no dia-a-dia da sala de aula.

Os pais ficam satisfeitos pois já escolheram o meu Projeto Pedagógico, e agora consigo conciliá-lo com um ensino de inglês de qualidade, mantendo minhas características, das quais me orgulho muito. Quem sou eu? Escola com Programa Bilíngue EDIFY


Compartilhar:

Comentários:

* Campos obrigatórios.

Seja o primeiro a comentar esse conteúdo e ajude nossos leitores a criar um debate construtivo.

Artigos relacionados

Editora brasileira vence o “Oscar” dos Materiais Didáticos de 2020
Educação

Editora brasileira vence o “Oscar” dos Materiais Didáticos de 2020

A Learning Factory, editora responsável pela produção dos materiais didáticos do Edify trouxe para o Brasil o…

Leia Mais

Making learning visible: 5 ideias para dar visibilidade ao aprendizado dos alunos
Educação
qui out 15 Marcela Nesello

Making learning visible: 5 ideias para dar visibilidade ao aprendizado dos alunos

Como professores e gestores escolares, o aprendizado de nossos alunos é muito claro para nós, não é mesmo? Sabemos exatamente quanto e em quais…

Leia Mais

Gamificação nas Escolas: estratégias para fomentar a autonomia
Educação
ter out 6 Carol Christino

Gamificação nas Escolas: estratégias para fomentar a autonomia

Como uma criança nascida nos anos 80, eu vivi o surgimento dos jogos de videogame e computador. Mas antes mesmo dessa revolução tecnológica…

Leia Mais