Saltar para o conteúdo
gestão educacional

Gestão educacional: é possível fazê-la sem um parceiro alinhado às diretrizes do MEC?

Em tempos de desafios cada vez maiores para as instituições de ensino, é preciso que elas estejam preparadas para dar as melhores respostas aos anseios dos estudantes e seus responsáveis. Nesse sentido, a gestão educacional é cada vez mais fundamental para as escolas, pois prevê essas e uma série de outras ações, que você confere em nosso artigo!

Mas, como elaborar e executar um plano para implementar as melhores práticas e atender às diretrizes do MEC, além de dar conta de um calendário pedagógico e acadêmico?

Neste conteúdo, vamos mostrar:

  • a importância de se adequar às normas do Ministério da Educação;
  • os desafios para realizar uma gestão escolar eficiente;
  • como um parceiro pode ajudar nessa tarefa, tanto no planejamento como na execução.

O Edify está sempre com você. Siga com a gente e saiba mais!

Por que a escola deve atender às diretrizes do MEC?

As Diretrizes Curriculares Nacionais (DCNs) são normas que orientam a organização, o desenvolvimento e avaliação do projeto pedagógico das escolas. A partir delas, a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) é elaborada.

Vale ressaltar que as DCNs e a BNCC são construídas a partir da discussão de diversos setores da sociedade, como MEC, pesquisadores e especialistas na área da Educação, gestores das redes pública municipal e estadual e representantes de escolas privadas.

As deliberações e resoluções são entendimentos amplos, que envolvem uma série de profissionais qualificados.

Ou seja, seguir as diretrizes do MEC vai muito além de se adequar às normas.

Ao se alinhar às DCNs, a instituição de ensino vai atuar no sentido de sanar as principais necessidades dos estudantes, fomentar as habilidades mais importantes e desenvolver as crianças e adolescentes da melhor maneira.

4 desafios para uma gestão escolar eficiente

Se conversarmos com diretores que atuaram em épocas distintas, provavelmente todos vão dizer que tomar decisões que ditam o rumo da rotina escolar nunca foi uma tarefa fácil.

Mas, nos últimos anos, algumas questões ficaram cada vez mais candentes. Para ficar só em dois exemplos, citaremos os avanços tecnológicos e a pandemia da covid-19.

Esses aspectos se somam a desafios constantes da gestão educacional. Alguns deles são:

1.  A gestão educacional engloba vários aspectos

Quem já viveu o dia a dia ou teve contato com um gestor escolar sabe que ele deve estar a par de várias áreas que são cruciais para todas as instituições de ensino.

Isso ocorre porque a gestão educacional é sustentada por 6 pilares:

  • gestão pedagógica;
  • gestão administrativa;
  • gestão financeira;
  • gestão de recursos humanos;
  • gestão da comunicação;
  • gestão do tempo e eficácia de ensino.

2. Novas habilidades são cada vez mais demandadas

A percepção dos responsáveis e dos próprios estudantes sobre o dia a dia na escola está mudando.

Além do aprendizado tradicional, eles esperam que as instituições de ensino sejam cada vez mais capazes de desenvolver habilidades como trabalho em equipe, empreendedorismo, aspectos éticos e socioemocionais e questões relacionadas ao mercado de trabalho. A reforma do ensino médio deixa isso claro e busca atender, justamente, essas novas demandas dos estudantes, dos responsáveis e da sociedade.

O Luciano Sathler falou sobre isso, e sobre outros tópicos do Novo Ensino Médio, em um webinar cuja gravação você pode assistir clicando aqui.

Por isso, a escola deve estar preparada para ir além do modelo quadro negro e giz e oferecer metodologias cada vez mais alinhadas a essas demandas, como é o caso das metodologias ativas de ensino.

3. Capacitação dos docentes

À medida que a educação evolui, as práticas e saberes dos envolvidos no aprendizado dos alunos também devem evoluir. E o corpo docente é fundamental para atender às expectativas que mostramos no tópico anterior.

Assim, a capacitação de professores, monitores e outros profissionais é primordial para que eles se sintam seguros e possam conduzir a dinâmica em sala de aula da melhor maneira, trazendo técnicas e habilidades condizentes com a realidade dos alunos.

Afinal, ninguém quer passar novamente por situações como a do início da pandemia, quando muitos dos docentes não estavam preparados para conduzir aulas remotas, não é mesmo?

4. Crises econômicas

Escolas por todo o país vêm se deparando com um cenário comum: dificuldades para captar e reter alunos, somadas a um aumento nos índices de inadimplência

Por isso, é importante desenvolver ações em vários dos eixos citados no tópico 1 desta seção: planejamento de fluxo financeiro, elaboração de campanhas de marketing e análise de custo-benefício das despesas, por exemplo.

Tempos desafiadores deixam ainda mais clara a importância de um bom plano de negócios para instituições de ensino de todos os portes, afinal, em maior ou menor grau, todas as escolas foram afetadas pela pandemia.

Como um parceiro pode ajudar na gestão educacional?

Esperamos que, ao longo do texto, tenha ficado bem claro que a gestão escolar envolve várias frentes.

Isso requer um time de colaboradores especializados em diferentes funções —  sabemos que a contratação de tantos profissionais costuma estar fora da realidade de boa parte das instituições privadas, por isso, contar com parcerias é uma ótima solução para uma gestão educacional eficiente.

Algumas empresas especializadas em soluções educacionais, como o Edify, oferecem vários dos serviços essenciais para a gestão escolar, como:

Adequação ao Novo Ensino Médio

Uma das maiores mudanças no Novo Ensino Médio é a inclusão dos itinerários formativos.

Um parceiro especializado pode facilitar muito a adequação ao currículo e até garantir um forte diferencial para a escola, transformando o desafio do Novo Ensino Médio em uma verdadeira oportunidade de crescimento.

Implementação de novas metodologias

É consenso que as escolas devem adotar dinâmicas que vão além das aulas expositivas.

Mas quais metodologias adotar? Que tipos de atividades são mais adequadas para cada faixa etária? Qual a porcentagem da carga horária que essas dinâmicas devem ocupar? Que materiais usar?

Uma parceria escolar com excelência acadêmica e forte suporte pedagógico pode apresentar soluções para essas e outras demandas.

Educação bilíngue

Capacitar professores, oferecer materiais adequados para todas as idades e sugerir metodologias específicas para o aprendizado de outros idiomas são passos essenciais para formar novas gerações bilíngues.

Ao contar com parceiros com experiência nesse tipo de solução, a instituição de ensino estará preparada para expandir os horizontes das crianças e adolescentes!

Gestão educacional: o caminho para se diferenciar

Respondendo à pergunta inicial do texto, é possível, sim, fazer uma gestão educacional sem um parceiro estratégico. Porém, como vimos, os desafios são inúmeros e podem ser facilitados.

A gestão escolar envolve vários aspectos e tempos de crise podem tornar a tarefa ainda mais desafiadora, mas um planejamento adequado e uma série de boas práticas vão ajudar sua instituição de ensino a se diferenciar.

Um parceiro capacitado pode contribuir bastante para que a sua gestão educacional seja cada vez mais eficiente.

Gostou do conteúdo?

Não deixe de conferir, também, um e-book exclusivo para entender as diretrizes da BNCC para a educação bilíngue.

Prepare a sua escola para uma das principais demandas dos próximos anos e ajude a abrir as portas do mundo para os estudantes!

Compartilhe esse texto!

Assine nossa newsletter e fique por dentro de mais conteúdos relevantes sobre educação!

Veja textos relacionados: