Saltar para o conteúdo

Habilidades socioemocionais para escolas

  • Bilinguismo

Consideramos importante fazer um certo enquadre da Educação, de alguns de seus fundamentos e processos, para compreendermos que os desafios são constantes e diferentes, em função de épocas, contextos e peculiaridades próprias do todo que ela compõe.

O cenário educacional

Dentre as especificidades, podemos citar alunos com necessidades especiais, os níveis de ensino – do básico ao superior, e ainda as diversas áreas do saber, que por sua vez abarcam distintos campos de conhecimentos. Isso nos aponta a complexidade da educação, pois cada um desses aspectos envolve adequações ou mesmo processos diferenciados de aprendizado.

Além dos fatores anteriores, o corpo teórico da Educação é influenciado por diferentes correntes de distintas ciências, a Pedagogia, a Psicologia, a Antropologia, a Sociologia, a Comunicação, a Neurociência e com o advento da educação a distância, também pelo Design, pela Informática, citando os mais comuns.

Podemos dizer que a Educação é uma eterna aprendiz, busca na medida do possível, assimilar e integrar os conhecimentos que vão surgindo no seu escopo de ação. Observamos isso pelo número de fases pelas quais passou, de concepções, de paradigmas, de metodologias existentes em seu histórico. Desde os primórdios ela passou e continua a passar por muitos marcos, do aprender como repetição e memorização, até tempos mais recentes da aprendizagem significativa, de metodologias ativas, de gamificação, entre outros.

O que diz a legislação?

Há que se considerar que a legislação da área também parametriza as atividades das instituições educacionais públicas e privadas, que submetidas a avaliações do MEC precisam corresponder a um mínimo estabelecido. Demandas legais e sociais são outras variáveis intervenientes do processo educacional.

O YES! nas escolas

Reconhecendo o quão desafiante é a Educação e a importância de diferentes formas de realização do processo educativo, o YES! nas Escolas optou por centrar seu foco nos atores, principalmente alunos e professores, pois acredita que há estados pessoais que contribuem significativamente para que esse processo seja mais prazeroso e efetivo.

Temos um certo alinhamento com as teorias humanistas, pois acreditamos que a aprendizagem envolve intelecto, corpo e sentimentos, e também com as teorias socioculturais na medida em que estas reconhecem as influências do meio.

Neste sentido, centramos nosso olhar na possibilidade de cada professor e aluno modificar o seu comportamento, a sua forma de lidar com as situações e criar uma ambiência mais propiciadora do processo de aprendizagem, e de uma convivência mais respeitosa e harmoniosa.

Isso nos parece ser bastante adequado dado que em diferentes cantos do mundo temos nos deparado com queixas ou desejos bastantes comuns. Os profissionais de escolas, faculdades, usualmente reportam estarem estressados, ansiosos, sobrecarregados, irritadiços, o que afeta a relação deles tanto no contexto profissional quanto no pessoal.

Os alunos muitas vezes são descritos como agressivos, dispersos, desatentos, imediatistas, desinteressados, pouco comprometidos com o processo de aprendizagem. “O corpo vai a aula, mas a mente, difícil saber por onde anda”, afirmam.

Por que incluir habilidades socioemocionais na grade curricular?

A melhoria no desempenho escolar é algo amplamente desejado, dado que impacta a vida dos próprios estudantes, bem como as contribuições deles para o desenvolvimento de uma sociedade mais sustentável – ecologicamente correta, economicamente viável, socialmente justa e culturalmente diversa, viabilizadora de uma Cultura de Paz.

Pessoas com pensamento crítico (científico), criativas, resilientes, empáticas, colaborativas, com domínio de tecnologias de forma ética e significativa, com consciência social, com capacidade de julgamento, de negociação, de tomada de decisão, pessoas construtoras de conhecimento, que se relacionem bem consigo mesmas e com os outros, compõem o rol das competências que passaram a ser desejadas no desenvolvimento dos alunos. Isso implica, em maior ou menor grau, em autoconhecimento, em saber gerir os próprios pensamentos e emoções, enfim, em habilidades socioemocionais.

Há algum tempo que as habilidades socioemocionais fazem parte dos conteúdos a serem trabalhados pelas escolas brasileiras, previsto tanto nas Diretrizes Curriculares Nacionais, quanto na Base Nacional Comum Curricular.

E cada vez mais há indicadores que o desenvolvimento de tais habilidades contribuem para a permanência na escola, para a redução da violência, de enfermidades, do consumo de drogas, para a melhoria dos relacionamentos, o aumento da empregabilidade, entre outros. Quando isso é realizado também com os professores reduz, além de alguns aspectos anteriores, o afastamento do trabalho.

Como acontece na prática?

Existem iniciativas de desenvolvimento de habilidades socioemocionais, de inclusão de mindfulness como disciplina em escolas brasileiras, que inclusive registram aumento de proficiência dos alunos. O que desejamos é acelerar a expansão disso, tamanho são os benefícios resultantes. E descobrimos como fazê-lo de forma relativamente simples, rápida e de grande alcance.

A metodologia do YES! nas Escolas partiu de estudos científicos que mostram que a respiração é fundamental para as funções cerebrais relacionadas à aprendizagem e à memória. Além disso, a respiração baixa a ansiedade, afeta positivamente o humor, a concentração, a forma de lidar com as emoções e contribui para um estado de maior homeostase corporal.

Nosso trabalho atua simultaneamente sobre três frentes:

  • o corpo (fisiológico) através de jogos, exercícios, redução de cortisol;
  • a mente (psicoemocional) através de técnicas de respiração, exercícios de relaxamentos e atividades que fortalecem valores humanos;
  • e o ambiente (social) através da resolução de conflitos, do gerenciamento das emoções e atividades de convivência.

O YES! nas Escolas é realizado desde 2008, se expandiu pelos EUA, México, e no Brasil vem ganhando cada vez mais espaço tanto em instituições públicas quanto privadas. Temos uma equipe de instrutores, distribuída pelo Brasil, formados pelas principais lideranças do programa YES! nas Escolas que estão aptos a contribuir para que mais rapidamente as competências socioemocionais sejam desenvolvidas e cada um dos participantes alcance resultados ainda mais expressivos na sua formação acadêmica, e/ou na sua vida profissional e em sua vida social.


Compartilhe esse texto!

Veja textos relacionados: