Making learning visible: 5 ideias para dar visibilidade ao aprendizado dos alunos
Educação
qui out 15
Marcela Nesello
Marcela Nesello

Marcela Nesello

Graduada em Letras pela Universidade de Caxias do Sul e Mestre em Linguística Aplicada pela PUCRS. Com 18 anos de experiência na área de Educação Bilíngue, atua como Coordenadora Pedagógica no Edify. Foi Teaching Assistant da Fulbright (FLTA), tendo, assim, lecionado Língua Portuguesa em nível universitário nos EUA. Possui a certificação internacional CPE e é membro do Braz-TESOL. É apaixonada por viagens, livros e filmes de suspense e musicais da Broadway.

Marcela Nesello

Making learning visible: 5 ideias para dar visibilidade ao aprendizado dos alunos

Como professores e gestores escolares, o aprendizado de nossos alunos é muito claro para nós, não é mesmo? Sabemos exatamente quanto e em quais aspectos cada um deles evoluiu, onde há oportunidades de desenvolvimento, e vemos tudo isso em nossa cabeça e em nossos diários como uma clara linha temporal desde o momento em que conhecemos o aluno até o dia atual. Mas será que o próprio aluno tem essa clareza de seus resultados? E se tem, quanto disso e como chega para suas famílias

O termo Making Learning Visible, ou “tornar o aprendizado visível”, em tradução livre, nunca foi tão falado, e com razão: a BNCC nos exige uma outra perspectiva do processo avaliativo, uma perspectiva na qual o aluno é agente de seu próprio processo de aprendizagem e que leva em consideração muito mais do que a nota numérica. Afinal, se falamos de competências e habilidades, temos que avaliar o aluno de forma holística, e ele e suas famílias têm que estar a par desse desenvolvimento.

Seguem, então, 5 dicas práticas para impulsionar o “Making Learning Visible” e estreitar a relação dos pais com a escola e com a educação dos filhos:

1. Aposte na Documentação Pedagógica

O desenvolvimento de portfólios não é novidade na Educação, mas ele foi ressignificado desde a BNCC. Primeiro, é importante ressaltar que um portfólio pode ser desenvolvido com alunos de qualquer idade, não apenas com a Educação Infantil. E é essencial que ele contenha trabalhos em ordem cronológica, para assim mostrar o processo evolutivo do aluno. É também crucial pontuar que uma mera sequência de trabalhos, fotos e vídeos não é um portfólio educacional, já que isso não representa seu processo de aprendizagem por completo. O portfólio educacional deve vir acompanhado de uma descrição de cada item acrescentado, bem como dos objetivos que se teve com a realização de cada atividade. Ele deve também conter uma auto-avaliação do aluno, que pode ser realizada mensalmente ou ao final de cada etapa de um projeto. O portfólio pode ser físico ou digital, usando ferramentas como o Seesaw.

2. Dê voz ao aluno 

Que tal disponibilizar algumas paredes da escola para que os alunos possam expor livremente seus trabalhos? Cada semana, uma turma da escola poderá ficar responsável por uma parede, e os professores ajudarão os alunos a se expressar por meio da exposição. A ideia aqui é apresentar os mais variados tipos de trabalho, desde desenhos das crianças até redações do Ensino Médio. Vale enfatizar que o objetivo não é estético, mas focar no conteúdo. Imagine algumas paredes da sua escola “bagunçadas” por uma imensidão de trabalhos! Lembrando que a descrição e os objetivos também devem estar lá, assim como fazemos com os portfólios.

3. Promova uma apresentação de pôsteres

Todos que passaram por uma graduação ou pós-graduação sabem que a apresentação de pôsteres é uma constante em congressos. Enquanto que no meio acadêmico superior o pôster muitas vezes é o termo usado para outros tipos de apresentação, como uma fala curta, aqui nos referimos a um pôster, literalmente. Essa técnica pode ser utilizada especialmente para tornar os resultados de um trabalho em grupo visíveis. Ao construir o pôster de sua apresentação, o grupo deverá pensar em como irá representar a sua jornada em grupo no pôster, e como a explicará para os visitantes. 

4. Promova uma feira interdisciplinar

Você lembra de quando era estudante e participava da Feira de Ciências? A ideia aqui é promover um evento similar, mas que foque na interdisciplinaridade. Assim, os alunos, em grupos ou duplas, deverão desenvolver um projeto que utilize os conteúdos estudados em várias disciplinas para apresentar durante a feira. Os benefícios vão além da feira em si, já que o aluno tem a oportunidade de compreender os conteúdos técnicos de uma forma global e aplicada à realidade, além de desenvolver autonomia conjugada ao espírito de equipe e divulgar o aprendizado, consolidando o “Making Learning Visible“. 

5. Desenvolva um diário de aprendizagem

Muitas vezes, não nos damos conta das pequenas coisas que aprendemos cada dia. Então, por que não ter um diário de registro das nossas pequenas conquistas? Cada aluno pode ter um caderno em que cada página representa um dia. Ali, ele, durante o horário escolar, registrará como quiser as coisas novas que aprende. Pode ser um conteúdo novo, uma palavra nova que o professor usou, algum truque da internet que aprendeu com um amigo… A cada mês, o professor pedirá que olhem os registros daquele período e se deem conta de quantas coisas foram aprendidas e quantas habilidades foram desenvolvidas, nos tornando estudantes e pessoas melhores que ontem.

Impulsione o Making Learning Visible da sua escola, clique na imagem e baixe também nossa coleção gratuita de Tendências Educacionais

Compartilhar:

Comentários:

* Campos obrigatórios.

Seja o primeiro a comentar esse conteúdo e ajude nossos leitores a criar um debate construtivo.

Artigos relacionados

Editora brasileira vence o “Oscar” dos Materiais Didáticos de 2020
Educação

Editora brasileira vence o “Oscar” dos Materiais Didáticos de 2020

A Learning Factory, editora responsável pela produção dos materiais didáticos do Edify trouxe para o Brasil o…

Leia Mais

Making learning visible: 5 ideias para dar visibilidade ao aprendizado dos alunos
Educação
qui out 15 Marcela Nesello

Making learning visible: 5 ideias para dar visibilidade ao aprendizado dos alunos

Como professores e gestores escolares, o aprendizado de nossos alunos é muito claro para nós, não é mesmo? Sabemos exatamente quanto e em quais…

Leia Mais

Gamificação nas Escolas: estratégias para fomentar a autonomia
Educação
ter out 6 Carol Christino

Gamificação nas Escolas: estratégias para fomentar a autonomia

Como uma criança nascida nos anos 80, eu vivi o surgimento dos jogos de videogame e computador. Mas antes mesmo dessa revolução tecnológica…

Leia Mais