Saltar para o conteúdo
plano de ação pedagógico

Plano de ação pedagógico: 5 motivos para adotar uma solução pedagógica complementar

O plano de ação pedagógico é um documento que ajuda a traçar estratégias para alcançar os objetivos da sua escola. Entenda como uma solução pedagógica complementar pode ajudar nesse cenário.

Você já pensou na importância de um plano de ação pedagógico? É provável que responda “sim”. Afinal, esse é o documento direcionador de todas as iniciativas promovidas na sua escola. O que talvez tenha passado despercebido é o que vai além.

Esse planejamento permite aproveitar ao máximo os recursos existentes na organização escolar. Mais do que isso, ele influencia a avaliação educacional. Como? A resposta está em exemplos simples.

Quando os estudantes têm acesso a conteúdos sólidos e os professores sabem como conduzir as aulas, existe uma chance maior de atingir resultados positivos. É aqui que se torna necessário contar com uma solução pedagógica complementar para alcançar excelência acadêmica e pedagógica.

Essa é uma forma de ter um forte diferencial e aumentar a captação e retenção de alunos. Você duvida? Então, é só conhecer os motivos que justificam adotar essa alternativa.

É o que vamos trazer aqui. Afinal, “é preciso uma aldeia para se educar uma criança”, como diz o provérbio africano. Então, não precisa fazer as coisas sem ajuda. É aquela ideia do “juntos somos mais fortes”!

Então, que tal ajudar seus alunos a alcançar novos voos? Venha com a gente e entenda como e por que vale a pena adotar uma solução pedagógica complementar.

O que é plano de ação pedagógico?

O plano de ação pedagógico é o documento que apresenta as diretrizes a serem seguidas por todos na escola. Ele mostra os problemas atuais e as metas a serem alcançadas. Além disso, determina como o trabalho será monitorado, indicando os ajustes necessários e o que já está dando certo.

Por isso, ele afeta todos os colaboradores da escola — como gestores, diretores, professores, secretários etc. — e os próprios alunos.

Isso porque ele determina, por exemplo, qual material didático será utilizado. Ainda traz os principais anseios da escola e de toda a comunidade de responsáveis e estudantes. Sem contar que precisa seguir as normas definidas pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB) e a Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

Ainda tem mais. Esse documento também traz também questões burocráticas. Por exemplo, o detalhamento do plano de ação financeiro escolar. Isso porque ele viabiliza os investimentos que serão realizados e ainda garante o equilíbrio entre o preço da mensalidade e a qualidade de ensino.

Percebe como o plano de ação pedagógico precisa alinhar diferentes aspectos? Com certeza, você já viveu isso na pele. O que, talvez, nunca tenha percebido é a importância de contar com uma solução pedagógica complementar. Vamos continuar falando disso.

Por que o plano de ação pedagógico é importante?

Dentro desse conceito apresentado, fica claro que esse documento é importante. Você já deve ter o seu na escola em que trabalha. A questão é: será que ele é realmente relevante? Sim, desde que atenda às exigências mínimas de qualidade.

A verdade é que a gestão educacional precisa ser bem embasada — e o plano de ação pedagógico faz parte disso. Para alcançar esse patamar, ele deve ser elaborado de acordo com algumas boas práticas. Elas são:

  • documentação: o plano deve ser escrito e detalhado em todas as suas ações. Ele embasa as demandas dos alunos e da administração escolar. Por isso, orienta várias iniciativas. Apesar disso, pode ter certa flexibilização para ajustes, por exemplo;
  • definição e justificativa: é preciso que o plano de ação determine quais assuntos serão trabalhados. Caso também seja um projeto pedagógico, deve indicar o que será estudado pelos alunos. Além disso, cada um dos itens deve ter uma justificativa coerente e breve;
  • detalhamento de objetivos: o plano de ação indica o que se pretende conquistar e quais são os resultados esperados. Ele pode resolver um problema específico ou aprofundar determinado assunto. Tudo deve ficar bem claro;
  • definição de metodologia: indica como as ações serão desenvolvidas e de que forma os conteúdos serão expostos. Existem diferentes alternativas, como as metodologias ativas, que ajudam a inovar e colocar o estudante como protagonista de sua aprendizagem;
  • definição de cronograma: é importante fazer um cronograma de implantação de cada uma das atividades. Escolha quais serão as prioridades e determine um modelo de roteiro a seguir.

Ou seja, para ter uma solução pedagógica complementar, é importante que essa iniciativa esteja listada no plano pedagógico. Essa escolha deve ser embasada em vários aspectos. Você sabe quais são eles? Que tal desvendar o caminho das pedras com a gente?

O que são soluções pedagógicas complementares?

Uma solução pedagógica complementar consiste na implementação de práticas educacionais que impulsionam o desenvolvimento dos alunos. Para que isso aconteça de forma efetiva, é preciso que a escola proponha ações que visem ao processo contínuo de fortalecimento da equipe pedagógica e formação continuada dos professores. Tudo isso contribui para o aperfeiçoamento do trabalho e, por consequência, para o alcance de melhores resultados com os estudantes.

Por isso, é preciso que essa solução seja eficiente e adaptada aos objetivos pedagógicos da sua escola. Por exemplo, é possível adotar um programa bilíngue que atenda às necessidades da instituição.

Dentro dele, é possível ter várias soluções, como uma que seja interdisciplinar e ensine Matemática, Ciências, Geografia etc. via abordagem CLIL, a fim de aumentar o aprendizado da língua adicional. Ou uma que utilize as metodologias ativas para facilitar o desenvolvimento do indivíduo de forma integral.

De toda forma, uma solução complementar contribui para o plano de ação pedagógico. Inclusive, pode ser utilizada como vantagem competitiva na elaboração de uma campanha de matrículas com toda a equipe escolar.

É por isso que a gente afirma que vale a pena contar com esse benefício. Afinal, é uma forma da sua escola fornecer um ensino de qualidade e ainda ter uma diretiva clara do que pode fornecer aos estudantes.

Como escolher uma solução pedagógica complementar para sua escola?

É preciso atentar aos objetivos a serem perseguidos para que as soluções complementares sejam escolhidas da forma correta. Caso contrário, podem deixar de atender ao que sua escola precisa.

Essa solução deve se ajustar ao que está determinado no plano de ação pedagógico. Além disso, é necessário contar com o apoio de toda a equipe escolar para que seja possível viabilizar as novas atividades ou tecnologias.

Nesse cenário, cabe à gestão pedagógica analisar as opções existentes no mercado. Além disso, é preciso capacitar a equipe escolar e contar com o auxílio especializado fornecido pela solução para garantir a melhor implementação e adaptação às mudanças.

Afinal, o gestor escolar é quem mais conhece as necessidades de todos os envolvidos, certo? Ou seja, professores, alunos e responsáveis. Além do mais, tem o conhecimento do plano de ação. Com tudo isso, consegue escolher a melhor solução pedagógica complementar.

Por exemplo, é possível incluir um programa bilíngue para agregar valor ao ensino e atender aos requisitos de qualidade dos responsáveis. Assim, é possível preparar sua escola para as tendências educacionais dos próximos anos.

Por que adotar uma solução pedagógica complementar? Veja 5 motivos

Agora que você entendeu como a solução pedagógica complementar está vinculada ao plano de ação da escola, chegou o momento de saber por que vale a pena adotar essa iniciativa. A seguir, listamos os principais benefícios que justificam essa decisão. Então, que tal conferir para fazer sua escola melhorar ainda mais?

1. Formação mais qualificada dos professores

A escola tem um papel de formação de cidadãos e isso está diretamente relacionado ao seu comprometimento social. Por isso, sua gestão deve ser holística. Ou seja, garantir o atendimento das demandas de professores, alunos e responsáveis.

O que isso tem a ver com a formação continuada dos professores? Tudo. A partir da qualificação dos profissionais, é possível impactar o processo de ensino-aprendizagem e deixar os responsáveis mais satisfeitos com a educação oferecida pela sua escola.

Na prática, a formação da docência impacta todo o desenvolvimento do senso crítico dos estudantes. Portanto, quanto mais qualificada for, maior é a tendência de ter alunos responsáveis e capazes de tomarem as decisões certas e encontrarem as melhores soluções.

A sua relação com a solução pedagógica complementar reside na realização de treinamentos para atualização e aperfeiçoamento. Isso porque, um bom parceiro para a sua solução pedagógica complementar, deve oferecer uma formação continuada ao seu corpo docente, a fim de alcançar excelência pedagógica e acadêmica.

2. Qualidade dos materiais didáticos

Uma solução complementar só fará sentido se estiver alinhada ao plano de ação pedagógico. O gestor deve atentar a essa questão, a fim de que esse material traga benefícios ao estudo dos alunos.

Aliás, o gerenciamento dos recursos materiais é uma das funções da gestão escolar. Nesse contexto, é importante lembrar o que você, com certeza, já sabe: o material didático oferece a melhor educação para os estudantes e as condições de trabalho ideais para os professores.

Além disso, ele precisa estar embasado nas determinações da BNCC, ainda que o conhecimento também seja buscado em outras fontes. Portanto, o material tem relação com todo o planejamento escolar e precisa ser adequado à proposta pedagógica e à metodologia de ensino.

Com uma solução pedagógica complementar, o professor tem garantia da qualidade dos materiais didáticos. Da mesma forma, tem mais embasamento para elaborar planos de aula e desenvolver atividades em sala de aula, por exemplo, relacionadas à robótica, à programação ou à matemática

3. Apoio ao marketing escolar

O marketing escolar é fundamental para a atração e retenção de alunos e responsáveis. Porém, ele também influencia em outros aspectos, como:

  • saúde financeira da escola;
  • retenção dos alunos;
  • melhoria da reputação da sua instituição de ensino;
  • aperfeiçoamento da análise dos resultados das ações;
  • aumento da abrangência geográfica;
  • aproximação e fidelização dos alunos devido a um tratamento individualizado;
  • melhoria da conquista dos resultados;
  • alcance de oportunidades.

Tudo isso é beneficiado com a ajuda da solução pedagógica complementar. Afinal, é uma forma de diferenciar a sua escola da concorrência. Por exemplo, pela oferta de ensino baseado em metodologias ativas ou por já ter se adequado ao Novo Ensino Médio. Outra possibilidade é o ensino de habilidades digitais e de programação.

Se tudo isso ainda for aliado ao ensino de um idioma estrangeiro, é muito melhor. É uma maneira da sua escola voar mais alto e se destacar. Isso é o que o Edify acredita e oferece. Que tal vir com a gente?

4. Aumento da satisfação dos responsáveis

Um ensino de qualidade e adequado às novas tendências do setor pedagógico geram o aumento da satisfação dos responsáveis. A afirmação é autoexplicativa, até mesmo porque ninguém deseja pagar a matrícula e as mensalidades para não ter o retorno esperado.

O que a solução pedagógica complementar traz é uma garantia a mais. Isso porque ela é reconhecida e aceita em várias instituições de ensino. Além disso, suas metodologias são referências que as tornam mais aceitas no mercado.

Em outras palavras, isso faz com que os responsáveis tenham uma segurança do ensino que está sendo passado às crianças e aos adolescentes. Da mesma forma, acreditam que os professores têm os melhores embasamentos, materiais didáticos e condições para reproduzirem seus conhecimentos e aplicarem suas didáticas.

5. Adoção das melhores tendências pedagógicas

Uma solução pedagógica complementar é constantemente revisada e alinhada às tendências relacionadas ao ensino-aprendizagem. Esse é um compromisso da empresa que a fornece, desde que ela seja confiável.

No Edify, existem quatro programas que utilizam abordagens adequadas às suas realidades. Veja:

  • To Go: foca na formação de alunos multidisciplinares. Os alunos aprenderão por meio da abordagem CLIL (Content and Language Integrated Learning);
  • To Hack: busca desenvolver as habilidades do futuro. São realizadas aulas em inglês de letramento midiático e programação;
  • To Create: pretende oferecer o desenvolvimento de habilidades socioemocionais e criativas. Por isso, a abordagem é baseada em projetos com base nas metodologias ativas;
  • Novo Ensino Médio: consiste em soluções bilíngues tanto para a Formação Geral Básica quanto para os Itinerários Formativos.

Em resumo, o plano de ação pedagógico é um documento fundamental, que direciona todas as medidas a serem adotadas. Elas abrangem vários detalhes, impactando até a formação continuada dos professores e o ensino-aprendizagem em sala de aula.

Nesse cenário, uma solução pedagógica complementar faz a diferença. Isso porque ela traz mais segurança para os responsáveis e qualificação para os docentes. É o caso do ensino bilíngue, que ajuda o seu plano de ação pedagógico a ter melhores resultados.

Compartilhe esse texto!

Assine nossa newsletter e fique por dentro de mais conteúdos relevantes sobre educação!

Veja textos relacionados:

Imagem em formato de desenho com uma mulher ajudando uma criança a empilhar blocos.

BNCC: entendendo os conceitos de competência e habilidade

As competências e habilidades presentes na BNCC, a Base Nacional Comum Curricular, são diretrizes que têm como principal objetivo o desenvolvimento uniforme e pleno de todos os estudantes, regulamentando o currículo com propostas de aprendizagens fundamentais e essenciais…