Saltar para o conteúdo
Criança e professora aprendendo inglês na escola

Por que aprender inglês (na escola) é tão importante?

Aprender Inglês é fundamental, pois se trata do idioma mais falado no mundo¹. Sua importância se revela especialmente no mercado de trabalho, na cultura e na economia. Hoje, a formação de cidadãos plurais e com senso crítico apurado não pode mais ser feita sem a introdução nesta língua global.

Por isso, ter acesso às estratégias que atendem demandas de aprendizagem no contexto brasileiro e internacional é mais do que necessário para que o ensino de línguas seja efetivo. Nas escolas mais atentas às exigências atuais, o bilinguismo se torna agente na promoção do desenvolvimento de habilidades, ultrapassando os limites do funcionalismo.

Neste conteúdo, vamos nos aprofundar nas razões pelas quais o inglês é tão importante na sociedade atual, além de mostrar as vantagens de conhecer o idioma no ambiente escolar, logo nos primeiros anos do aprendizado. Acompanhe:

Razões pelas quais todos devem aprender inglês

Primeiro, vamos falar da importância do conhecimento e da autonomia em Língua Inglesa. Afinal, saber inglês continua sendo relevante? Por que as potencialidades do inglês se destacam frente aos outros idiomas? Aqui, listamos algumas (mas não todas) razões pelas quais o inglês deve fazer parte da vida cotidiana.

1. A Língua Inglesa tem status de língua franca

Por possuir cerca de 1.2 bilhões de falantes atualmente, o Inglês é considerado uma língua franca. Essa nomenclatura define qualquer língua que seja eleita por comunidades multilíngues como meio de comunicação.

Como consequência do avanço e mudança dos meios de vida, a necessidade de saber se comunicar nesse idioma universal deixou de ser apenas uma adição no currículo e tornou-se uma necessidade. Mais do que isso, a boa formação de cidadãos globais exige ferramentas que propiciem sua participação ativa no mundo, viabilizando a expansão de seus sonhos e objetivos.

As novas formas de comunicação e criação de relações se transformaram, ultrapassando barreiras de distância, cultura e língua. Por isso, é possível responder de forma muito mais fácil e atrativa a famosa pergunta que muitos professores e coordenadores pedagógicos já ouviram: “por que aprender Inglês?”.

Porque ele nos permite entrar em contato com diferentes povos, dividir culturas e experiências, além de aumentar a criatividade e provocar até mesmo ganhos emocionais, trazendo um mar de possibilidades no futuro de crianças e adolescentes.

2. Permite o acesso a informações valiosas

O mundo globalizado é cada vez mais dominado por sistemas e interações via internet, o que democratizou o acesso a informações e oportunidades. Grande parte dessas interações se dão em Língua Inglesa, e aqueles que dominam o idioma podem transitar pela web e trocar experiências de maneira muito mais completa.

Nos âmbitos da cultura e da ciência, o conhecimento do inglês permite o consumo de peças de mídia e trabalhos acadêmicos sem a necessidade de traduções, com compreensão rica das nuances e sutilezas visíveis apenas no formato original dos conteúdos.

3. Estimula a criatividade e o desenvolvimento cognitivo

Conhecer um segundo idioma é introjetar um leque completamente novo de conceitos e referenciais. No processo de entendimento efetivo de uma nova língua, o falante adquire também uma nova perspectiva sobre o mundo, gerada pela cultura na qual aquele idioma nasceu.

Essa pluralidade de referenciais enriquece o repertório mental e é muito importante para a criatividade. Ao mesmo tempo, a cognição é estimulada pelas rápidas alternâncias entre códigos que uma pessoa bilíngue precisa fazer para se comunicar em duas línguas.

4. Abre portas no meio acadêmico e profissional

Cada vez mais empresas brasileiras e estrangeiras procuram investir em profissionais habilidosos e que saibam se comunicar em Língua Inglesa, pois operam em várias localidades do globo. Um bom exemplo disso é o ramo da programação, que ganha espaço a cada ano. Nesta atividade, o inglês está presente em quase todos os aspectos: da nomenclatura ao network entre profissionais.

No Brasil atual, porém, o número de candidatos qualificados com domínio do inglês é muito inferior às demandas do mercado. Segundo a pesquisa intitulada “Demandas de Aprendizagem de Inglês no Brasil” realizada pelo Instituto Data Popular e pelo British Council, apenas 5,1% da população de 16 anos ou mais afirma possuir algum conhecimento do idioma inglês². De acordo com a pesquisa, a “falta de um ensino básico de qualidade, somada ao baixo acesso a cursos privados de inglês, faz com que o mercado de trabalho tenha dificuldade em encontrar profissionais com proficiência na língua”.

Infográfico - a importância do inglês

Quer entender o assunto na íntegra? Confira nosso artigo sobre as relações entre o inglês, a educação e o mercado de trabalho.

Quais são os benefícios de aprender inglês na escola?

Melhora cognitiva e de memória, compreensão mais diversificada do mundo, pensamento crítico e empatia são apenas alguns dos benefícios de quem aprende a Língua Inglesa no contexto escolar. O processo de ensino e aprendizagem de línguas estrangeiras se diferencia da proposta das escolas de idiomas, que visam trabalhar os aspectos mais técnicos e gramaticais, de maneira isolada do restante da experiência acadêmica e de vida dos estudantes.

Os estudos acerca desse tópico evoluíram com o surgimento de programas de ensino bilíngue, uma tendência nacional. A abordagem CLIL ganhou mais espaço, por ser mais inclusiva e abrangente que outras metodologias. O “Content and Language Integrated Learning” ou Ensino Integrado de Conteúdos e Língua, é aplicado quando se faz o ensino de uma língua estrangeira através de outra disciplina do currículo.

Assim, a formação acadêmica se faz mais completa e participativa, estimulando os estudantes a fortalecerem ou expandirem seu interesse por meio de atividades diversas e plurais, como é o caso do Programa To Go. De caráter inter e multidisciplinar, o To Go trabalha retomando conteúdos já vistos no componente curricular, de forma que facilita o engajamento e elimina o sentimento de insegurança ao dar os primeiros passos no bilinguismo.

Oferecer ambientes, materiais e táticas efetivas é essencial para a fruição do interesse e domínio dos estudantes. Isso também acontece no Programa To Hack, uma inciativa que ensina elementos básicos da programação para crianças, incluindo letramento midiático por meio de uma metodologia que inclui uma sólida base linguística.

Para sistematizar, aqui vai uma lista das principais vantagens do aprendizado de Língua Inglesa dentro da escola, logo no início da vida acadêmica, em especial no modelo bilíngue:

  • o planejamento é integrado: é feita a junção da Língua Inglesa com os demais conteúdos para auxiliar o processo de aprendizagem. Isso convida os estudantes a se engajarem nas discussões usando a língua como meio para interação social. Esse método também previne que o conhecimento do inglês fique represado e isolado das demais rotinas do estudante, garantindo a constituição de habilidades reais de comunicação;
  • a carga horária é estendida: na grade curricular ou no contraturno. Entendemos que, quanto maior o tempo de exposição ao idioma, mais rápido será para o aprendiz adquirir fluência em língua inglesa. Vale ressaltar que o parecer do CNE indica que o mínimo de 3h de aulas semanais deve ser utilizado pelas escolas para a educação bilíngue;
  • o foco permanece no sujeito e suas habilidades: na educação bilíngue, o ensino de Língua Inglesa possui foco centrado no estudante, com uma abordagem comunicativa visando o desenvolvimento de habilidades linguísticas com enfoque na comunicação oral;
  • a autonomia é valorizada: a aprendizagem da Língua Inglesa é baseada em projetos em que os estudantes serão convidados a se tornarem agentes de sua própria aprendizagem, usando a língua adicional como um meio para a busca coletiva de soluções para as problemáticas apresentadas em sala de aula;
  • há maior comodidade para estudantes e responsáveis: com a garantia de um ensino de qualidade do inglês na escola, os estudantes não precisarão se deslocar para outro ambiente, conformar-se a outros cronogramas e adaptar-se a novas dinâmicas de aprendizado.
infográfico - as vantagens de aprender inglês na escola

Quais são as diferenças entre ensino bilíngue e cursos de idiomas?

O ensino de línguas como conhecemos nas escolas de idiomas não é capaz de suprir as necessidades de integração e desenvolvimento necessárias nos dias atuais. Por serem voltadas para o aspecto funcionalista, as técnicas disponíveis focam na repetição, elementos gramaticais e oralidade mecanizada.

Já no caso do bilinguismo, o que acontece é o caminho inverso. O inglês age como agente facilitador entre quem estuda e os conteúdos que lhe são apresentados. A imersão que esse método insere no cotidiano de professores e estudantes faz com que a integração desse novo idioma seja mais natural e atraente.

Ainda pensando nessa linha de atuação, o Edify trouxe mais um programa que promove a fruição das habilidades socioemocionais, com materiais completos e especificamente criados para estimular a criatividade de forma lúdica e que acompanha as fases de desenvolvimento motor e cognitivo. Conheça um pouco mais sobre o To Create e veja como aplicá-la no seu contexto escolar.

Além disso, a inclusão é fator-chave na criação de cada peça, livro e atividade, todas colaborando na promoção de uma experiência significativa que acolha todos os estudantes, inclusive aqueles com necessidades educacionais específicas sem menosprezar suas capacidades de aprendizagem. Dando ferramentas que permitem a expressão em diversas formas.

Caso sua escola ainda não possua profissionais qualificados no modelo bilíngue, conheça os materiais gratuitos que disponibilizamos no nosso site para auxiliar sua equipe pedagógica no avanço rumo ao futuro na Língua Inglesa.

Referências bibliográficas:

1. Eberhard, David M., Gary F. Simons, and Charles D. Fennig (eds.). What is the most spoken language?Ethnologue: Languages of the World. Twenty-fifth edition. Dallas, Texas: SIL International. 2022. Disponível em: https://www.ethnologue.com/guides/most-spoken-languages. Acesso em: 23/03/2022.

2. BRITISH COUNCIL. Demandas de aprendizagem de inglês no Brasil. Instituto de Pesquisa Data Popular. 1 ed. São Paulo, 2014. Disponível em: https://www.britishcouncil.org.br/sites/default/files/demandas_de_aprendizagempesquisacompleta.pdf. Acesso em: 23/03/2022.

Compartilhe esse texto!

Assine nossa newsletter e fique por dentro de mais conteúdos relevantes sobre educação!

Veja textos relacionados: