Saltar para o conteúdo
Rotatividade de professores

Rotatividade de professores: 8 dicas para evitar

Neste artigo, você vai encontrar o guia completo sobre um problema que pode afetar o bom funcionamento do sistema de ensino de qualquer instituição: a alta rotatividade de professores.

Por isso, continue a leitura e aprenda com o Edify sobre:

  • As causas e consequências da alta rotatividade de professores
  • Os motivos que levam um professor a trocar de escola
  • 8 dicas para combater a frequente rotatividade de professores

O rodízio de profissionais dentro de empresas é totalmente normal e esperado pelo mercado de trabalho, independentemente do segmento de atuação, porém, quando essa movimentação ocorre frequentemente dentro de escolas, ela traz alguns malefícios para a instituição, principalmente se esse fluxo se concentra no corpo docente.

A rotatividade de professores é um problema que tem afetado inúmeros colégios. Esse quadro é muito prejudicial, pois interfere diretamente na qualidade do ensino oferecido e no resultado obtido pelos alunos, assim, expondo possíveis falhas nos processos internos e dificuldades na gestão escolar.

Por isso, se o vai e vem dos docentes tem se repetido na sua escola, é hora de ligar o sinal de alerta e começar a buscar formas de evitar esse cenário.

O Edify preparou um artigo completo sobre o tema! Vamos conversar sobre o assunto e entender quais são as causas, os efeitos e como combater, de uma vez por todas, a alta rotatividade de professores na sua instituição de ensino!

Vem com a gente!

Entenda os malefícios da rotatividade de professores e por que você deve evitá-los ao máximo

Não há dúvidas de que o professor tem papel fundamental na formação do estudante, sendo, muitas vezes, o grande responsável por estimular a participação dos alunos nas aulas, e por incentivar o desenvolvimento de habilidades e competências que vão guiar a carreira profissional e a vida pessoal desses jovens.

Porém, como estabelecer uma relação de confiança e respeito, se a rotatividade de professores é algo frequente?

Tal fato quebra a continuidade da linha pedagógica no ensino, onde todo o trabalho desenvolvido pelo profissional é interrompido de maneira brusca.

Além do período extenso para a contratação de professores, ainda é preciso considerar o tempo de adaptação do novo profissional e também dos estudantes, que podem se sentir frustrados com essas constantes trocas.

Com isso, é inevitável que o planejamento escolar entre em risco, afetando diretamente o aprendizado e a relação professor e aluno.

“Se para uma empresa começar do zero com um novo funcionário é difícil, nos colégios a situação se torna ainda mais grave, pois interfere de maneira direta na qualidade do ensino e aprendizagem dos estudantes.”

É o que afirma Heloísa Luck, doutora em Educação pela Universidade Columbia e pós-doutora em Pesquisa e Ensino Superior pela Universidade de George.

O que faz um professor procurar novas oportunidades?

De acordo com uma matéria da ‘Gestão Escolar’, da Abril, há diversos fatores que fazem com que um docente abandone a sala de aula.

Dentre eles, os mais populares são:

  • falta de recursos necessários;
  • perfil da instituição;
  • localização; 
  • salário.

No entanto, também é possível identificar dezenas de condições para que um professor queira entrar ou permanecer em um emprego.

Ainda conforme relata a matéria, “tornar a escola um espaço acolhedor e favorável à aprendizagem é uma boa maneira de atrair e fidelizar o educador”.

Por esse motivo, a gestão pedagógica precisa ter a ciência de que o professor é a ferramenta principal no processo educativo e, com isso, é necessário englobá-lo como elemento chave no planejamento do desenvolvimento estudantil.

Agora que você já sabe mais sobre o que causa e quais as consequências da rotatividade dos professores, é hora de aprender como evitar esse problema na sua escola!

Confira as dicas que o Edify preparou para você!

8 dicas indispensáveis para combater a alta rotatividade de professores na sua escola!

#1. Proporcionar ambiente agradável e com boa estrutura

O ambiente escolar precisa ser favorável para que o docente consiga exercer suas funções na instituição e sinta prazer nisso.

Vale incluir o bom relacionamento entre os funcionários, ou seja, é fundamental que exista um clima de cooperação, onde todos possam sugerir ou criticar algo por meio de seus pensamentos, ideias e apresentação de soluções pertinentes.

O professor deve implementar e explorar as ferramentas disponíveis em cada colégio e apresentar bons resultados em sala de aula, em contrapartida, a escola deve valorizá-lo e motivá-lo.

#2. Disponibilização de recursos pedagógicos e liberdade para exercer o seu modo de trabalhar

Como um professor conseguirá dar aula se não tem recursos básicos para desenvolver estratégias e técnicas de ensino?

A falta de livros, jogos, internet e outras ferramentas didáticas pode gerar um estresse e desgaste ao educador, colocando sobre as próprias costas a responsabilidade de buscar por esses itens e encontrar soluções para essa ausência.

É frustrante para qualquer profissional se sentir limitado por não ter ferramentas básicas para aplicar tarefas e promover o seu trabalho de forma eficiente e otimizada.

No caso dos docentes, por exemplo, é importante oferecer os recursos e apoio necessários antes de exigir aulas com soluções inovadoras e metodologias ativas.

Então, a instituição precisa oferecer recursos para proporcionar aulas mais dinâmicas e construir um ambiente agradável tanto para os professores quanto para os estudantes.

#3. Otimização da comunicação interna

Uma das maneiras de evitar a rotatividade de professores é garantir uma comunicação transparente e contínua entre a equipe, de modo que todos saibam sobre os acontecimentos, planos e ideais da instituição.

Essa prática diminui os ruídos e faz com que o profissional se sinta abraçado pela escola.

Além disso, uma boa comunicação interna evita a disseminação de informações inverídicas ou desconexas, pois preza pelo diálogo sincero e ajuda na manutenção do bom relacionamento, tornando o colaborador seguro em suas relações profissionais.

 #4. Gestão participativa

Ainda pegando carona no tópico anterior, a gestão escolar deve ser uma aliada dos professores, e não o oposto disso. A sensação de impotência por parte do docente faz com que ele deixe de se sentir satisfeito ali, buscando outras oportunidades.

O diálogo é o ponto-chave no processo de retenção dos professores, então, é crucial que a gestão também se atente aos feedbacks, para identificar fatores que desmotivam esses profissionais.

Portanto, de nada vale reconhecer os problemas se não houver uma tentativa de consertá-los, mesmo que o ponto não seja solucionado totalmente.

Quando o profissional percebe que a crítica foi ouvida e levada a sério, entende que sua presença é parte essencial da instituição.

#5. Promoção de atualizações

O mundo muda constantemente e os professores precisam estar por dentro de todas essas mudanças, afinal, compartilham os seus conhecimentos com os alunos.

É importante que a organização estudantil garanta que os docentes tenham acesso a tudo aquilo que engloba seu método de ensino.

Por exemplo, há colégios que usam tablets, mas nem todas as pessoas sabem como manuseá-los de maneira eficiente dentro da sala de aula.

Então, cabe ao colégio garantir que seus colaboradores entendam a importância daquela ferramenta e saibam utilizar todos os seus recursos possíveis em sala de aula.

#6. Formação Continuada dos professores

A formação docente é um fator fundamental para o sucesso de uma instituição e para a valorização do quadro de professores. Principalmente quando o tema é educação, ter um programa de atualização e aprendizado bem estruturado é um diferencial competitivo, não só como argumento de venda para as famílias, mas, especialmente, para garantir um corpo docente satisfeito.

A formação continuada pode ser oferecida aos professores por meio de cursos, workshops, palestras e aquisição de materiais de excelência, que fornecem conhecimento e apoio aos educadores.

Afinal, que profissional não gosta de saber que a empresa investe nele, não é mesmo?

#7. Pesquisas de Clima e Avaliação Educacional

Faz parte da estratégia de retenção de professores, entender, conhecer e buscar melhorias contínuas no ambiente de trabalho.

No entanto, nem sempre tudo é percebido no dia a dia, por isso, nada melhor que uma pesquisa para avaliar a satisfação e o desempenho dos professores e também dos alunos.

Estruturar pesquisas de clima e avaliações educacionais ajuda a compreender o sistema de ensino como um todo.

Assim, o gestor escolar toma conhecimento do ambiente de trabalho e também do nível de aprendizado de seus estudantes, tendo uma visão 360º de todo o ecossistema em que está inserido.

Essa é uma ótima oportunidade para encontrar melhorias e identificar pontos fortes da sua escola.

Desse modo, é possível trabalhar focado nas suas falhas, aperfeiçoar o que já é bom, investir nos professores e lapidar estratégias para a retenção de alunos.

É fundamental que a gestão escolar analise, de verdade, o resultado dessas avaliações para que, de fato, as pessoas respondam motivadas e confiando que serão ouvidas.

#8. Valorize o trabalho do seu corpo docente

Claramente, tudo o que já foi citado ajuda a valorizar o trabalho dos seus profissionais. Mas é fundamental reforçar a importância de reconhecê-los.

Envolva os seus educadores em decisões importantes para a escola, peça opinião, converse e faça-os se sentirem parte integrante e ativa da sua escola.

Com certeza, os professores terão contribuições valiosas para a gestão escolar e poderão oferecer um olhar diferente, com uma perspectiva que, muitas vezes, quem não lida diretamente com o aluno não enxerga.

É necessário ressaltar que valorizar o professor não é apenas torná-lo parte importante da sua gestão, mas também gratificar e remunerar de maneira digna.

Qualquer profissional gosta de saber que a empresa o enxerga. Com isso, a autoestima melhora, o professor fica mais à vontade, confiante e se sente confortável para desenvolver o seu trabalho, feliz e motivado.

Sendo assim, buscar formas de enaltecer o seu corpo docente é fundamental, tanto no que tange diretamente o trabalho realizado, mas também proporcionando instrumentos e materiais de apoio.

Dessa forma, está claro por que todo gestor escolar deve evitar a alta rotatividade de professores, bem como quais são as 8 melhores dicas para evitar esse mal na sua escola.

Quer saber como um programa bilíngue ajuda a sua escola no recrutamento de professores? Clique no banner abaixo e continue aprendendo com o Edify!

Compartilhe esse texto!

Assine nossa newsletter e fique por dentro de mais conteúdos relevantes sobre educação!

Veja textos relacionados: